terça-feira, 17 de agosto de 2010

Biografia de Jean Piaget

Segundo Goulart (2008), Jean Piaget nasceu em 1896, em Neuchâtel, Suíça, e desde pequeno mostrou interesse pelas ciências. Seu primeiro trabalho científico surgiu quando tinha apenas dez anos, e falava sobre um pardal albino que observara num parque público. Com isto, tornou-se assistente voluntário do diretor do Museu de Ciências Naturais de Neuchâtel. Durante os quatro anos seguintes, publicou cerca de 20 artigos sobre moluscos e animais, mas seu interesse também passava por áreas como filosofia, sociologia e religião.

Em 1915, Piaget licenciou-se, e três anos depois, conclui seu doutorado, com uma tese sobre moluscos de Valois. Estes estudos na área da biologia fizeram Piaget suspeitar de que os mecanismos de equilíbrio fossem responsáveis pelos processos de conhecimento e convenceu-se também que tanto as ações externas quanto os processos de pensamento admitem uma organização lógica.

Goulart afirma que ao deixar Neuchâtel e ir a Zurique, na Alemanha, em 1919, Piaget passa alguns meses estudando psicologia nos laboratórios de G.E. Lipps e Wreschner e na clínica psiquiátrica de Bleuber. Esses estudos o ajudam a confirmar que a psicologia experimental poderia ajudá-lo e sua vocação de epistemólogo. Em seguida, vai à Paris estudar filosofia e começa a trabalhar com a padronização do teste de Burt. Nesta época, Piaget se convence que o caminho para unir filosofia e psicologia estava na experimentação. Nesta época, após a publicação de Arquivos de Psicologia de Genebra, seu editor, Claparède (1873-1940), propõe a Piaget seu ingresso no Instituto Jean-Jacques Rousseau de Genebra, em 1921, como pesquisador. Ali o suíço encontra liberdade para desenvolver seus estudos sobre a criança, iniciando uma série de trabalhos que lhe deram fama mundial.

Segundo Goulart, em 1925, Piaget é nomeado titular de Filosofia na Universidade de Neuchâtel, lecionando até 1929 aulas de psicologia e sociologia também. Em 1929, torna-se o primeiro diretor-assistente na Universidade de Genebra, e durante os próximos dez anos, cumpre funções administrativas sem no entanto deixar a pesquisa de lado. Neste período, o suíço intensifica seus estudos sobre história das matemáticas, da física e da biologia, redigindo seus primeiros trabalhos sobre epistemologia genética. Ainda em 1929, é nomeado diretor do Departamento Internacional de Educação, cargo que lhe oportuniza tentar introduzir suas descobertas sobre o desenvolvimento das crianças nas práticas educativas.

Em 1936, Piaget ganha o título de Doutor Honoris Causa, na Universidade de Harvard, Estados Unidos. Durante a guerra, desenvolve estudos sobre as estruturas lógicas relativas à física elementar. Goulart afirma que de 1936 a 1952, o suíço foi professor de sociologia da Faculdade de Ciências Econômicas da Universidade de Genebra. Durante este período, torna-se diretor do Laboratório de Psicologia Experimental da Universidade de Genebra, substituindo Claparède, editor dos Arquivos de Psicologia e presidente eleito da Sociedade Suíça de Psicologia.

Em 1950, além de diversos livros sobre psicologia e psicologia da criança, sozinho ou com colaboradores, Piaget publica a Introdução à Epistemologia Genética e o Tratado da Lógica.

Seu projeto de elaborar uma epistemologia baseada nas ciências positivas concretizou-se em 1955 quando foi inaugurado o Centro Internacional de Epistemologia Genética, sob os auspícios da Fundação Rockefeller. A partir daí até sua morte, o suíço recebeu no Centro, especialistas em diversas áreas do conhecimento, os quais procediam a estudos epistemológicos, que passaram a integrar a produção científica da instituição.

Jean Piaget morreu em 1980, aos 84 anos.

Referências

GOULART,I. B. Os fundamentos da teoria piagetiana. In Piaget: Experiências básicas para utilização pelo professor. 24ª ed. Rio de Janeiro: Editora Vozes, 2008, p. 9-13.

PIAGET, J, 1896-1980. A epistemologia genética/Sabedoria e ilusões da filosofia; Problemas de psicologia genética; Jean Piaget; traduções de Nathanael C. Caxeiro, Zilda Abujamra Daeir, Celia E.A. Di Piero. 2ª edição. São Paulo: Abril Cultural, 1983. Os Pensadores

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Postar um comentário